ALIMENTAÇÃO NATURAL PARA CÃES

RAÇÃO X ALIMENTOS NATURAIS

Antes do surgimento das rações, os animais domésticos eram alimentados com comida, restos das refeições das pessoas ou com fórmulas básicas, do tempo de nossos avós, a base de fubá, fígado e miúdos de boi ou frango.

Mesmo desbalanceadas as dietas caseiras eram bem aceitas e proporcionavam uma qualidade de vida superior a que os animais domésticos alimentados a base de ração, tem hoje.

As rações surgiram na década de 70, com a Revolução Industrial como forma de aproveitamento dos produtos inservíveis para consumo humano, derivados do abate de animais de consumo, com intuito de prover uma alimentação balanceada e prática para os animais domésticos.

Praticidade com certeza, mas o custo benefício nem tanto. Os animais alimentados a base de ração, têm apresentado mais problemas crônicos de saúde do que os alimentados com dieta caseira,  o que gera um alto gasto com consultas veterinárias, remédios e exames recorrentes. 

A questão é que a ração não leva em consideração as especificidades de cada animal, possui uma fórmula fixa, não oferece adequada variedade de nutrientes, possui baixo nível de umidade, leva em sua fórmula grande quantidade de aditivos químicos sintéticos, bem como o risco de contaminação por toxinas fúngicas causadas pelo prazo de validade extenso e formas inadequadas de armazenamento. 

Sabemos que a indústria de produtos PET, é uma das que mais crescem no mundo. O Brasil é o segundo no ranking mundial em número de cães e gatos domésticos. Por isso, hoje, temos no mercado uma enorme variedade de rações, além das categorias básica, premium e super premium que determina os melhores níveis de proteína e qualidade dos ingredientes, temos rações animais de diferentes faixas etárias, com diferentes formas de criação (se são animais "indoor" ou "outdoor"), e portadores de doenças crônicas como sensibilidades gástricas, renais ou alergias, além das rações light, diet e super protéicas.

Mesmo as rações super premium, com o mais alto nível de proteína, não contém a carne animal em si, mas sim subprodutos, tendo como base as proteínas vegetais, o que não é adequado para a natureza de animais carnívoros como cães e gatos.  Além disso, passam por violentos processos industriais físicos e químicos como a liofilização, a extrusão, a hidrólise e processos em altas temperaturas que alteram as qualidades nutricionais dos ingredientes utilizados, tornando-os pobres e de difícil absorção.

O pior de tudo é a falta de apetite e as mudanças de comportamento ocasionadas pelo empobrecimento da dieta e por males de saúde que só detectamos quando em estágio avançado, como algumas inflamações ou doenças crônicas levando a baixa qualidade e uma menor expectativa de vida para esses animais.

Então, por que a alimentação natural ainda é mal vista por muitos veterinários?

Seria o receio da oferta de uma dieta desbalanceada ou com restos de comida? Pelo trabalho de preparar a comida, principalmente no caso de animais de grande porte ou de muitos animais?

Nenhum desses motivos deve ser impedimento para oferecermos uma melhor qualidade de vida para os animais que escolhemos e que serão dependentes de nós para o resto de suas vidas! 

Atualmente, existem nutricionistas e nutrólogos veterinários especializados para prescrever essas dietas balanceadas, individualizadas, de acordo com a necessidade nutricional de cada animal.  

As desvantagens da alimentação natural são basicamente de logística. Dependendo do porte e da quantidade de animais a serem alimentados, é preciso muita organização, compras e produção regulares e espaço na geladeira e freezer. 

Mas, falando em custo x benefício, as vantagens da dieta natural, além de demonstrar todo seu cuidado e carinho, pode ser variada, tendo seus ingredientes escolhidos de acordo com a época e existentes em qualquer supermercado, são naturalmente hidratados e ricos em nutrientes naturais que proporcionam maior palatabilidade, pelos e pele mais saudáveis, manutenção mais fácil do peso e animais mais resistentes a doenças com uma expectativa de vida mais alta e com mais qualidade.

A alimentação natural proporciona a forma mais adequada de tratar seu animal, respeitando sua natureza, ao invés de sofrer as consequências da humanização. Ao invés de "escovar os dentes" de seu animal de estimação, que tal oferecer "ossos recreativos"?

Ossos naturais arredondados, de tamanho adequado para cada cão, oferecidos sob supervisão e por tempo determinado, servem como "limpador" natural de tártaro. Esses ossos são para roer e não para "comer"...

Pense nisso! 

MAIS DICAS SOBRE ALIMENTAÇÃO NATURAL, visite:

www.tendenciasnaturebas.com.br
www.cachorroverde.com.br